Os Morcegos

Os Morcegos pertencem ao grupo dos mamíferos:

  • Têm o corpo coberto de pelos;
  • Alimentam os bebés com o leite da mãe;
  • Mantêm a temperatura do corpo constante.

Mas são os únicos mamíferos que voam.

 

Espécies de morcegos

Espécies de morcegos existentes em Portugal

Fotografia

Nome vulgar

Nome específico

Estatuto *

Morcego-de-ferradura-grande

 

Rhinolophus ferrumequinum

E

Morcego-de-ferradura-pequeno

Rhinolophus hipposideros

E

Morcego-de-ferradura-mediterrânico

Rhinolophus euryale

E

Morcego-de-ferradura-mourisco

Rhinolophus mehelyi

E

Morcego-de-bigodes

Myotis mystacinus

 

Morcego-lanudo

Myotis emarginatus

E

Morcego-de-água

Myotis daubentonii

NT

Morcego-de-franja

Myotis nattereri

E

Morcego de Bechstein

Myotis bechsteinii

E

Morcego-rato-grande

Myotis myotis

E

Morcego-rato-pequeno

Myotis blythii

E

Morcego-anão

Pipistrellus Pipistrellus

NT

Morcego de Nathusius

Pipistrellus nathusii

 

Morcego de Kuhl

Pipistrellus kuhli

NT

Morcego da Madeira (M)

Pipistrellus maderensis

K

Morcego de Savii

Pipistrellus savii

K

Morcego-hortelão

Eptesicus serotinus

NT

Morcego-arborícola-grande

Nyctalus noctula

I

Morcego-arborícola-pequeno

Nyctalus leisleri leisleri

V

Morcego Arborícola da Madeira (M)

Nyctalus leisleri verrucosus

I

Morcego-arborícola-gigante

Nyctalus lasiopterus

I

Morcego dos Açores (A)

Nyctalus azoreum

R

Morcego-orelhudo-castanho

Plecotus auritus

I

Morcego-orelhudo-cinzento

Plecotus austriacus

NT

Morcego-negro

Barbastella Barbastellus

I

Morcego-de-peluche

Miniopterus schreibersii

V

Morcego-rabudo

Tadarida teniotis

R

Legenda:

(M) Madeira; (A) Açores;

E – Em perigo

NT – Não ameaçado

K – Insuficientemente conhecido

I – Indeterminado

V – Vulnerável

R – Raro

(Livro Vermelho de Vertebrados de Portugal, SNPRCN, 1990).

 

Quantos?

Em Portugal Continental existem 24 espécies destes mamíferos voadores, que variam muito no tamanho, aparência, comportamento e noutros aspectos da sua biologia.

 

Como vivem?

Alimentam-se de insectos, que caçam durante a noite.

Algumas espécies capturam insectos voadores, outras conseguem apanha-los no solo e em rochedos, paredes e plantas ou superfícies de águas calmas.

Para poderem capturar estas presas, os morcegos têm um voo extremamente ágil.

Ainda que tenham boa visão, durante a noite utilizam principalmente o seu sistema de ecolocação que consiste na localização dos objectos e presas através das ondas de ultra-som que emitem pela boca e pelo nariz com frequência muito alta. Essas ondas atingem obstáculos no ambiente e voltam em forma de ecos com frequência menor.

Na primavera dão à luz uma única cria, que cresce rapidamente.

Durante os meses quentes do ano, acumulam grandes quantidades de gordura, que serve de reserva alimentar para o Inverno.

Durante o Inverno a maioria dos morcegos hibernam por longos períodos devido à falta de alimento.

Este ciclo repete-se ao longo dos cerca de 30 anos que estes pequenos animais chegam a viver.

Esta longevidade é surpreendente tendo em conta as suas pequenas dimensões.

Os morcegos da nossa fauna variam entre 3 a 10 cm de comprimento.

 

Onde se abrigam?

Algumas espécies abrigam-se quase exclusivamente em grutas, minas e outros subterrâneos. Outras preferem pequenas cavidades nos troncos das árvores, como ninhos de pica-pau abandonados.

Há também espécies que se abrigam em casas e igrejas, em geral em salas pouco perturbadas, no forro, na cave ou em espaços apertados (entre telhas, por trás de pinturas, etc.).

Outras espécies passam o dia em estreitas fendas, em muros, pontes ou rochedos.

Não ocupam em geral o mesmo abrigo ao longo de todo o ano, chegando por isso a fazer migrações com centenas de quilómetros.

 

A utilidade dos Morcegos?

Os morcegos são inofensivos e não causam prejuízo. São até muito úteis pois destroem grandes quantidades de insectos, combatendo pragas agrícolas e florestais e vectores de doenças.

Numa só noite, um morcego pode comer mais do que o seu próprio peso em insectos!

Espécies em perigo

Tal como no resto da Europa as populações de muitas das nossas espécies têm vindo a diminuir, havendo em Portugal 9 em perigo de Extinção.

  • Morcego-de-ferradura-grande;
  • Morcego-de-ferradura-pequeno;
  • Morcego-de-ferradura-mediterrânico;
  • Morcego-de-ferradura-mourisco;
  • Morcego-rato-grande;
  • Morcego-rato-pequeno;
  • Morcego-lanudo;
  • Morcego-de-franja;
  • Morcego de Bechstein.

 

Porque estão ameaçados?

A destruição ou perturbação dos vários tipos de abrigos é um dos factores responsáveis pela diminuição das populações de morcegos.

O abate de velhas árvores restringe os abrigos disponíveis para as espécies arborícolas.

As espécies cavernícolas são as mais afectadas, devido à grande concentração dos indivíduos num número reduzido de abrigos. É por esta razão que a maior parte das espécies cavernícolas está em perigo.

Em edifícios, nem sempre são bem recebidos, são mortos ou obrigados a abandonar os seus abrigos.

São também afectados por alterações dos habitats e aplicação de pesticidas.

Por serem muito úteis e estarem ameaçados os morcegos estão protegidos por Lei.

 

Que podemos fazer?

Se nada for feito em favor destes animais, as 9 espécies em perigo, e talvez mesmo outras, acabarão por se extinguir no nosso país.

Ajuda-os evitando a destruição e perturbação dos abrigos e esclarecendo as pessoas sobre a necessidade de respeitar estes úteis e interessantes animais.

 

Outras informações?

Para obteres mais informações:

ICN – Instituto da Conservação da Natureza

Página: http://portal.icnb.pt/